Orduak, um disco em que a voz é a força motriz

Dullmea (também conhecida por Sofia Fernandes) e Ricardo Pinto juntaram-se para criar Orduak, uma obra de cariz ambiental e introspectivo, inspirado nas tradições corais dos séculos XX e XXI.

Em entrevista ao Gerador, Sofia Fernandes explica que o ponto de partida para a criação deste disco foi a ideia de que “todos temos relações mais ou menos bizarras com o tempo”. A partir desse sentimento chegou a Marc Augé e às suas concepções de não-tempo (e não-lugar) de Marc Augé: um tempo anónimo, sem significado suficiente para que seja considerado tempo e do qual nenhum indivíduo se chega a apropriar.

A esta ideia juntam-se outros conceitos-chave como “rarefação, brechas temporais, alterações de consciência, vazio”, permitindo que os artistas evoquem um sentimento de chiaroscuro entre os momentos mais etéreos e luminosos e as texturas mais ásperas.

Oduark tem feito correr tinta em algumas publicações musicais como a SilenceandSound, a Vital Weekly ou a Blow Up Magazine. Pode ser ouvido e adquirido no Bandcamp de Dullmea.