Vitorino Coragem: “Cada fotografia revela um momento carregado de diferentes significados”

Vitorino Coragem é o fotógrafo responsável pelas imagens que adornam as páginas de “Os Surrealistas”, livro-CD em que abraçou o desafio de “tentar desconstruir a forma convencional como são feitos os retratos”. Para perceber melhor como é que surgiu esta ligação, fomos falar com o fotógrafo que acompanha as movimentações da Lisbon Poetry Orchestra desde 2015.

A Palavra: Quando é que começou a sua relação com a LPO e como é que surgiu a hipótese de fazer parte do disco “Os Surrealistas”?
Vitorino Coragem: Esta relação tem vindo a ser construída há alguns anos. Comecei a fotografar as sessões do Poetas do Povo em 2015 e tenho vindo a acompanhar, desde então, os projetos do Alexandre Cortez.

A Palavra: Tratando-se de um projecto tão particular, teve que mudar alguma coisa na forma como trabalha habitualmente?
Vitorino Coragem: Na realidade não foi necessário alterar a minha forma de trabalhar. As referências artísticas presentes neste disco “Os Surrealistas” são também as minhas e fazem parte do meu corpo de trabalho.

A Palavra: Qual é a sua fotografia favorita deste livro?
Vitorino Coragem: Gosto de todas as fotografias. Cada uma revela um momento carregado de diferentes significados que tenta representar o universo surrealista.

A Palavra: Há alguém próximo do universo surrealista que gostasse de fotografar?
Vitorino Coragem: Para mim o desafio é exatamente o inverso. Tentar desconstruir a forma convencional como são feitos os retratos, desafiando as supostas leis do real através de uma interpretação surrealista.

lpo5
lpo1
lpo11
lpo2
lpo3
lpo9
lpo6
lpo7
lpo10
lpo12
lpo13
lpo14
lpo15
previous arrow
next arrow