Lisbon Poetry Orchestra leva “Os Surrealistas” a Buenos Aires

A Lisbon Poetry Orchestra prepara-se para levar “Os Surrealistas” até ao outro lado do Atlântico. A convite da EGEAC, o colectivo vai subir ao palco da 48ª Feira Internacional do Livro de Buenos Aires, que este ano terá Lisboa como cidade convidada de honra.

A programação daquela que é uma das maiores feiras do livro do mundo e que tem a particularidade de convidar cidades e não países, como é usual, foi hoje apresentada pela Câmara Municipal de Lisboa, no Palácio Galveias.

Prevista acontecer entre 23 de abril e 13 de maio, a Feira Internacional do Livro de Buenos Aires contará com a participação de 37 autores portugueses e 22 argentinos, que vão estar presentes em várias mesas, integradas numa programação eclética e diversificada, onde se dará grande destaque também à música e ao cinema.

Em termos de programação literária estão previstas conversas, oficinas, debates, apresentações de livros e de autores, que incluem, entre muitos outros, nomes como Afonso Cruz, Afonso Reis Cabral, Ana Pessoa, André Letria, Bruno Vieira Amaral, Frederico Pedreira, Isabela Figueiredo, Jerónimo Pizarro, Joana Bértholo, Joana Estrela, José Luis Peixoto, Lídia Jorge, Pedro Mexia, Ricardo Araújo Pereira, Rosa Oliveira e Yara Monteiro.

Na área do cinema, a autarquia recebeu uma proposta para apresentar oito filmes e dois documentários, todos estreados nos últimos dois anos, inspirados em obras literárias ou escritores, de que são exemplo José Cardoso Pires, Sophia de Mello Breyner Andresen, Natália Correia ou Mário de Carvalho.

No que à música diz respeito, destaque para a presença da Lisbon Poetry Orchestra com o seu trabalho “Os Surrealistas”, dedicado a celebrar e a interpretar a poesia de um grupo de artistas e poetas que percebeu a urgência da liberdade numa época de obscurantismo político. Ao colectivo juntam-se outras cinco apresentações musicais – com Rodrigo Leão e Ana Lua Caiano entre os destaques – num total de 30 músicos e 27 parceiros, numa programação global que se vai estender por 21 dias.

Será também uma oportunidade para os autores contactarem com editores e livreiros para poderem ser traduzidos, tendo sido criada uma linha especial de apoio à tradução, em parceria com a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), que será lançada na feira.

Lisboa terá um espaço de 200 metros quadrados na feira, como um pequeno auditório, espaços de leitura, de áudio e livros de vários autores portugueses, não apenas os que vão estar presentes.

A Feira do Livro de Buenos Aires é a 5ª maior feira do livro do mundo e a 3ª maior da América Latina, recebendo a cada ano mais de um milhão de visitantes.

com Agência Lusa