Na semana em que se celebram 100 anos do nascimento de Saramago, o país prepara-se para receber um ciclo de cinema dedicado a José Saramago, leituras das suas obras, visitas guiadas à fundação e à sua casa em Lanzarote, entre outras iniciativas que encerram as comemorações do centenário do escritor, que se assinala na próxima quarta-feira, 16 de Novembro.

As comemorações arrancaram a 16 de Novembro de 2021, dia em que José Saramago completaria 99 anos, e decorreram ao longo de todo o ano de 2022. O programa culmina oficialmente na data que marca os cem anos do nascimento do Nobel da Literatura português, para o qual está reservado um “programa intenso”, de acordo com a Fundação José Saramago.

Já esta segunda-feira, terá início um ciclo de cinema na Cinemateca Portuguesa que se estende até dia 19, integrando as “mais importantes adaptações retiradas da sua obra e alguns dos documentários sobre a sua figura”. Ensaio sobre a Cegueira, o Homem Duplicado, A Jangada de Pedra, O Ano da Morte de Ricardo Reis e o documentário José & Pilar são alguns dos filmes que fazem parte deste ciclo.

Outra iniciativa prevista para dia 15 é mais um encontro-debate integrado no ciclo Legados Saramaguianos, que tem estado a decorrer com participação de vários escritores portugueses, e que consistirá numa conversa entre o escritor Gonçalo M. Tavares e Carlos Reis, na Biblioteca Palácio Galveias, em Lisboa.

As comemorações do centenário têm o seu ponto alto no dia 16. A Fundação José Saramago programou diversas actividades, que se iniciam logo às 10h00, com de alunos de escolas de Portugal, Espanha e outros países a lerem excertos de romances do escritor.

Durante todo o dia, a Fundação José Saramago e a Casa José Saramago, em Lanzarote, terão as portas abertas, para receber visitas guiadas, acompanhadas por momentos musicais.

Na delegação de Azinhaga, aldeia natal de José Saramago, será plantada a centésima árvore no âmbito do projecto 100 oliveiras para Saramago. Cada uma destas árvores receberá o nome de uma personagem saramaguiana.

A festa termina à noite, no Teatro Nacional de São Carlos, com a última apresentação da ópera Blimunda, de Azio Corghi, com encenação de Nuno Carinhas, numa nova produção desta obra inspirada na personagem principal do romance Memorial do Convento, e que se estreou a 20 de Maio de 1990, no Teatro alla Scala de Milão.

A fundação deixa ainda um convite a todos os leitores de José Saramago espalhados pelo mundo para que participem nos festejos através das redes sociais, partilhando a suas passagens favoritas de livros do escritor com a etiqueta #Saramago100.