Casa do Comum acolhe Absinto Festival de Poesia

Poesia, música e absinto. Estes são os ingredientes para o primeiro festival organizado por poetas, artistas e DJs na Casa do Comum, o novo espaço dedicado à cultura no Bairro Alto.

O Absinto Festival de Poesia decorre entre 14 a 20 de março. A programação conta com poesia, artes plásticas e música, com entrada gratuita. O primeiro dia arranca pelas 17h00, com a inauguração de uma exposição que junta obras de João Amoêdo Pinto, Jorge Barrote, Lourenço Lomelino e Sempere.

Ricardo Fonseca, Peppas e um artista a confirmar serão os protagonistas de uma atuação que está marcada para as 19h30. André Leiria, ou Wormclass (como é conhecido no mundo da música), estará aos comandos dos pratos até às duas da manhã.

No segundo dia (15), pelas 19h30, terá lugar um recital de poesia com Rui Afonso, Eus e José Algo. Antes, será inaugurada outra exposição coletiva. O resto da noite será animada pelas escolhas de Frederico Silva. Nos restantes dias do festival, as  peças poderão ser visitadas entre entre o meio-dia e as 22 horas. O acesso é sempre gratuito.

Com três pisos, tem uma livraria de referência e uma pequena sala de cinema, que pode acolher também concertos intimistas. O espaço inclui ainda um Museu da Preguiça que acolhe três bibliotecas que podem ser descobertas nas várias camas e redes espalhadas pelo espaço. Já no piso térreo, numa livraria alfarrabista, fica o bar. A Casa do Comum abriu no número 285 da Rua da Rosa, no Bairro Alto, a 1 de novembro do ano passado.